O que é o Estado Vibracional


Neste vídeo descrevo o que é o fenômeno do Estado Vibracional.

Também descrevo alguns aspectos importantes para sua instalação voluntária.

Clique aqui para acessar o canal no Youtube.

Você pratica a Instalação do Estado Vibracional? Que tal participar de nossa pesquisa Online?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais clique nos livros abaixo:

Livro Estado Vibracional

Livro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

Videocast – Bioenergias


Bioenergias é uma das denominações corriqueiras para as energias extrafísicas. As bioenergias, contudo, podem se manifestar de formas bastante diversas.

Neste vídeo, faço uma breve introdução acerca do que são as bioenergias e como elas afetam nossas vidas.

Clique aqui para acessar o canal no Youtube.

Você pratica a Instalação do Estado Vibracional? Que tal participar de nossa pesquisa Online?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais clique nos livros abaixo:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

O que é o Estado Vibracional – EV


EV30032015

Todas as consciências, incluindo vegetais, animais, pessoas e consciências extrafísicas, absorvem, circulam e exteriorizam energia o tempo todo. Essas energias são intrafísicas (eletromagnéticas) e extrafísicas.

Geralmente denominamos as energias extrafísicas por bioenergias. As bioenergias se agregam em torno das consciências formando campos.

A absorção, circulação e exteriorização de bioenergias podem ser feitas de várias maneiras, notadamente, de forma inconsciente e de forma consciente. De forma consciente, esses processos são potencializados.

O Estado vibracional é um fenômeno que ocorre quando o campo bioenergético de uma pessoa passa de um estado de baixa energia para alta energia. Como consequência, a pessoa pode sentir o fenômeno na forma de frio ou calor súbito e intenso, arrepios, calafrios, sensação de expansão do corpo e, com muita frequência, sensação de vibrações por todo o corpo.

A ocorrência espontânea do EV é muito rara. Somente em 1960 o fenômeno foi identificado quando o pesquisador inglês Robert Crookal analisando milhares de relatos de projeções conscientes percebeu que muitos projetores descreviam a ocorrência deste fenômeno.

Em 1971, Robert Allan Monroe, famoso projetor americano, publicou seu primeiro livro no qual descrevia o fenômeno, para o qual lhe deu o nome Estado Vibracional e apresentou uma técnica para instalá-lo a fim de, com isso, provocar projeções conscientes.

Em 1979, o paranormal brasileiro Waldo Vieira aperfeiçoou a técnica de Monroe, tornando-a bem mais fácil de ser executada. Com isso, milhares de pessoas passaram a emprega-la para produzir projeções lúcidas. Com o passar do tempo, essas pessoas foram percebendo diversos outros benefícios do EV.

Em 1994, Vieira criou a Conscienciologia, uma ciência para pesquisar a consciência de forma multidimensional. O EV se tornou, então, a base para todas as mobilizações energéticas pesquisadas e descritas pela Conscienciologia.

Dentre mais de 60 benefícios já identificados para o EV, se destacam:

  • Facilitar a realização de projeções conscientes;
  • Desfazer acoplamentos bioenergéticos;
  • Promover a autodefesa contra ataques bioenergéticos;
  • Promover o autodesassédio;
  • Eliminar energias negativas presentes no campo bioenergético;
  • Eliminar nódulos bioenergéticos localizados nos chacras e corpos extrafísicos;
  • Melhorar a sintonia com consciências mais evoluídas (amparadores);
  • Melhorar a concentração necessária para trabalhos intelectuais;
  • Desenvolver o parapsiquismo.

A instalação do EV é realizada do por meio de uma técnica de circulação de bioenergias chamada OLVE – Oscilação Longitudinal Voluntária de Energias. Isso pode ser feito no corpo físico ou pelo projetor quando fora do corpo.

A medida em que o EV vai sendo praticado, fica cada vez mais fácil instalá-lo. O praticante chega a um ponto em que pode instalar o EV sem ter que fazer a OLVE.

O EV pode ser instalado em várias ocasiões: antes de dormir, antes de dirigir um veículo, ao entrar em um ambiente, antes e após um trabalho parapsíquico tal como uma sessão de regressão ou uma sessão mediúnica, em situações de perigo, em situações de desconforto ou mal-estar, ao ter que lidar com pessoas energeticamente contrária a nós, ao sentir a presença de um assédio extrafísico, etc.

Você pratica a Instalação do Estado Vibracional? Que tal participar de nossa pesquisa Online?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais clique nos livros abaixo:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

Aspectos relevantes na composição do padrão energético pessoal


Estado Vibracional

Todas as consciências, intrafísicas e extrafísicas, absorvem e exteriorizam energias o tempo todo.

Sabemos que as consciências intrafísicas possuem um conjunto de corpos – o holossoma, em que cada veículo de manifestação absorve e exterioriza energias de um determinado padrão:

  • O corpo físico mobiliza energias eletromagnéticas;
  • O energossoma mobiliza energias densas, energossomáticas;
  • O psicossoma mobiliza energias psicossomáticas, relacionadas as emoções;
  • O mentalsoma mobiliza energias mentalsomáticas, relacionadas a racionalidade.

Outro aspecto importante quanto a mobilização de energias são os chacras. Possuímos muitos chacras, sendo que sete deles não os mais importantes e que mais se destacam, motivo pelo qual os chamamos “chacras magnos”. No que diz respeito aos padrões de energias que mobilizam destacam-se os aspectos relacionados a seguir.

Chacras inferiores – mobilizam energias energossomáticas

  • O sexochacra é relacionado as energias sexuais e a reprodução humana;
  • O umbilicochacra é relacionado as questões materiais, a competição, disputas, agressividade e bens materiais.

Os chacras intermediários – mobilizam energias psicossomáticas

  • O esplênicochacra é relacionado a distribuição de energias para os demais chacras e, na maioria das pessoas, nunca ou raramente se manifesta de forma perceptível;
  • O cardiochacra é relacionado com a emoção, a efetividade;
  • O laringochacra é relacionado com a comunicação intrafísicas (fala) e extrafísica (clariaudiência).

Os chacras superiores – mobilizam energias mentalsomáticas

  • O frontochacra é relacionado a clarividência;
  • O coronochacra é relacionado a mobilização de energias mais sutis.

Holossoma

O holossoma possui, no corpo físico, as veias e artérias que distribuem o sangue pelo corpo humano.

No psicossoma existem, de forma análoga, dutos energéticos que chamamos energovias, que distribuem energia por este corpo extrafísico. Na consciência intrafísica, o energossoma se mescla ao psicossoma intensificando todos os processos energéticos.

Holosfera

O energossoma, o psicossoma e o mentalsoma não tem um limite espacial rigidamente definido como acontece com o soma. Ao contrário, esses veículos se expandem de forma variável para além dos limites do soma, principalmente na forma dos chacras. Essa expansão que tem em média 40 cm constitui a holosfera, um campo bioenergético formado pelas energias mescladas dos quatro veículos.

Síntese

Em síntese, o que determina o estado do campo energético pessoal de uma pessoa é:

  • O veículo de manifestação que está predominando sobre os demais,
  • O chacra que está predominando sobre os demais.

Assim, o melhor desempenho possível é a pessoa em que são predominantes, a maior parte do tempo, o mentalsoma e o o coronochacra. Contudo, sabemos que essa é uma condição relativamente difícil de se encontrar, pelos seguintes motivos:

(1) Fatores intrínsecos: Quando pensamos, sentimos e nos emocionamos com variadas questões da vida, produzimos pensamentos, sentimentos, emoções e consequentemente energias que fazem com que outros veículos e chacras predominem.

2) Fatores extrínsecos: Situações da rotina diária, pensamentos, sentimentos, emoções e energias de outras consciências, intrafísicas e extrafísicas nos influenciam o tempo todo, melhorando ou piorando nosso próprio padrão, conforme nossa sintonia. Quanto a isso é importante lembrar que as mazelas ainda existentes na humanidades, tais como disputas, competitividade, crimes, guerras, violência e exploração de todos os tipos tornam esses tipos de influências predominante.

Padrão energético pessoal

O padrão energético pessoal seria a média das energias que exteriorizamos ao longo do tempo. Quanto mais predominarem os veículos mais sutis e os chacras mais elevados, melhor será esse padrão ocorrendo o inverso na medida em que predominarem os veículos mais densos e os chacras inferiores.

Esse padrão energético médio é que nos possibilita entrar em sintonia com outras consciências, intrafísicas e extrafísicas. Quando melhoramos nosso padrão, ainda que momentaneamente, por meio da mobilização de energias, instalado o EV – Estado Vibracional, por meio da meditação, da reflexão clara e profunda, da repetição de um mantra ou ainda por meio de uma oração, sintonizamos com energias e com consciências mais sutis e evoluídas.

Se pudermos manter esse padrão a maior parte do tempo, estaremos, portanto, sintonizados com essas energias e consciências mais tempo também.

Consciências muito evoluídas, como despertos e serenões, conseguem manter padrões assim o tempo todo.

No próximo post abordaremos formas de nos aproximarmos nosso padrão energético da condição dessas consciências mais evoluídas.

Você pratica a Instalação do Estado Vibracional? Que tal participar de nossa pesquisa Online?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

Bioenergias


EV12012016

Energia e matéria são os elementos constituintes do universo. A matéria nada mais é do que a energia concentrada. A energia, portanto, é o constituinte fundamental do universo. Uma possível definição de energia, mais próxima do nosso dia-a-dia é:

“A capacidade de produzir força e realizar trabalho”.

Nesse sentido podemos entender energia como um sistema condutor de movimento e ação.

Inúmeros fenômenos atestam a existência de um tipo diferente de energia, transcendente a matéria e a energia intrafísicas. São as bioenergias, ou energias vitais, dispersas e onipresentes em todos os objetos, locais, seres, e, portanto, intimamente relacionadas as formas de vida.

Os seres vivos fazem trocas energéticas intrafísicas e extrafísicas. Intrafisicamente, por meio da respiração, alimentação, captação e exteriorização de calor. Extrafisicamente, por meio da captação e exteriorização de bioenergias para o meio ambiente e também para outros seres vivos.

A ciência não admite a existência de bioenergias por elas não poderem ser detectadas por meio da instrumentação intrafísica. Não obstante os fenômenos bioenergéticos ocorrem o tempo todo e, assim, corpos de conhecimento foram criados ao longo da história acerca de como as bioenergias se manifestam e como podemos controlá-las.

Dessa forma, ao longo do tempo, as bioenergias receberam diversas denominações conforme o local ou contexto cultural em que foram estudadas. Na China, são conhecidas por “chi” e no Japão por “ki”. Na cabala são chamadas “luz astral” e no Yoga é o “prana”. Hermes Trismegisto denominava por telesma as bioenergias, Reichenbach chamava-as de força ódica, Kardec de fluido vital e Reich de orgônio. Várias práticas terapêuticas da Índia e da China baseiam-se na manipulação das bioenergias, tais como a Ayurveda e acupuntura.

Existem vários tipos de bioenergias. Quando são originárias do meio ambiente, tais como do solo, das águas de mares e rios, do ar e das matas, são chamadas energias imanentes ou EIs. Quando são originárias de seres humanos ou animais, são chamadas energias conscienciais ou ECs. Enquanto as energias imanentes, incluindo as energias das plantas, são geralmente neutras, as energias conscienciais são moduladas pelos pensamentos e emoções das consciências, em menor grau quando animais e em grau muito maior quando pessoas.

Tanto as EIs quanto as ECs podem ser absorvidas pelos seres vivos. As primeiras geralmente apenas fazem bem, revitalizando seus corpos. No caso das ECs, dependendo do padrão que possuírem, podem fazer bem ou mal.

O que anima os corpos físicos são as consciências. São sinônimos para consciência: espírito, alma, self, ego. As consciências possuem um conjunto de corpos chamado holossoma (holo significa “todo” e “soma” significa corpo). Atualmente distinguimos claramente quatro corpos constituintes do holossoma, cada qual capaz de movimentar (captar e exteriorizar) bioenergias com um determinado padrão:

  • O soma ou corpo físico: movimenta energia eletromagnética intrafísica;
  • O energossoma ou corpo energético: movimenta bioenergias energossomáticas;
  • O psicossoma ou corpo astral, espiritual: movimenta bioenergias psicossomáticas;
  • O mentalsoma, o corpo mais sutil e evoluído da consciência: movimenta bioenergias mentalsomáticas.

Cada um dos veículos movimenta as bioenergias por meio de canais internos especializados que se distribuem e se concentram em pontos específicos. Os nadis (palavra que significa raiz) são pequenos pontos no energossoma, vias de acesso para os canais energéticos internos. Chacras (palavra que significa roda) são pontos de concentração de canais bioenergéticos internos que se agrupam formando um grande via para captação e exteriorização de energia.

A saúde de uma pessoa, seu bem-estar, depende em grande parte de um fluxo normal, equilibrado de bioenergias por todos os canais existentes no holossoma. Existem fatores, como os descritos a seguir, que causam dificuldade ou bloqueios de intensidade variável no fluxo das bioenergias:

  • Emoções intensas: medo, raiva, ódio, ciúme, e outras popularmente chamadas “negativas” causam bloqueios temporários;
  • Nódulos bioenergéticos: Surgidos a partir dessas mesmas emoções quando cultivadas por muito tempo, causando bloqueios maiores e por longos períodos de tempo.
  • Doenças intrafísicas: Infecções causadas por bactérias e vírus, por exemplo;
  • Assédio interconsciencial: A vampirização de bioenergias por outras consciências;

Quando surgem bloqueios mais permanentes no fluxo das bioenergias, é necessário uma ação no sentido de desfazê-los. Bloqueios mais simples são vencidos pela própria pessoa após algum tempo por meio da própria dinâmica de sua rotina diária. Bloqueios maiores necessitam de algum tipo de intervenção. Acupuntura, Do-in, Massagem Ayurvêdica e Reiki são alguns exemplos de práticas que podem fazer isso e que dependem de uma pessoa que os aplique na pessoa necessitada.

Estado Vibracional ou EV é uma prática de movimentação das bioenergias pelo holossoma que a própria pessoa pode empregar para desfazer bloqueios bioenergéticos. Para instalar um EV nada mais é preciso do que a vontade determinada e concentrada em oscilar as bioenergias acumuladas em seu holossoma até que vibrem na maior frequência possível.

O EV causa bem-estar, não tem contra-indicações e pode ser feito por qualquer pessoa independentemente de sexo, idade, convicções religiosas, etc.

Para saber mais sobre o EV:

O que é o Estado Vibracional

A Técnica do Estado Vibracional

A Fórmula do Estado Vibracional

Imaginação e Estado Vibracional

Cinco Perguntas sobre o Estado Vibracional Respondidas

Instalação do EV e a Mesologia

Estado Vibracional no Automóvel

Estado Vibracional nas Práticas Espíritas

Correlatos Eletroencefalograficos do Estado Vibracional

Você pratica a Instalação do Estado Vibracional? Que tal participar de nossa pesquisa Online?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

Cientificismo X Espiritualismo


Espiritualidade-1

Espiritualidade-2

Ciência. Enquanto a ciência se recusar a estudar os fenômenos parapsíquicos de forma apropriada, esse será um domínio dos espiritualistas e pseudocientistas.

Serviço. Como a ciência se recusa a pesquisar o tema, espiritualistas e pseudocientistas prestam um grande serviço ao registrar por meio de livros, artigos e outros meios os fenômenos que presenciaram e as conclusões que obtiveram. No dia em que a ciência se dignar a pesquisar o assunto, não precisarão começar do zero. Terão uma boa base de dados para consultar.

Cobrança. Participo de muitas listas de discussão e comunidades virtuais na Internet relacionadas a bioenergias, EFCs e outros temas correlatos. Volta e meia, surgem pessoas cobrando, exigindo e esbravejando para que todos tenham postura científica.

Reflexão. Postura científica é boa. A melhor mesmo, concordo. Mas, questiono: até que ponto podemos exigir posturas científicas dos espiritualistas que fazem parte dessas listas e comunidades e que também frequentam e mantem instituições, sejam elas espíritas, exotéricas ou conscienciológicas?

Capacitação. Essas pessoas, geralmente, não têm nem a formação de pesquisadores nem as subvenções para fazer seus estudos e pesquisas que normalmente existem na academia. Na maioria das vezes, sequer dispõe de tempo, já que desempenham atividades profissionais que nenhuma relação tem com suas práticas espirituais, não raro abrindo mão de horas que poderiam ser destinadas a família, ao lazer ou simplesmente ao descanso.

Exigências. Até que ponto podemos, portanto, exigir delas uma postura científica com relação a suas crenças e práticas espiritualistas? Quais recursos podem dispor para comprovar os fenômenos que acreditam reais ou que vivenciaram? E se fizerem isso, será para satisfazer a quem? A elas mesmas ou aos que cobram essas posturas mas que nada fazem realmente nesse sentido?

Sugestão. Se você é uma dessas pessoas que vive exigindo comprovação científica para os fenômenos parapsíquicos, sugiro que faça como acha correto e depois dê ampla divulgação. Caso contrário, que seja mais comedido em suas cobranças. Sugerir postura científica sim, mas se for exigir, faça isso aos pesquisadores da academia, esses sim, profissionais do ramo, que tem o preparo, o tempo e os recursos necessários para isso.

Você pratica a Instalação do Estado Vibracional? Que tal participar de nossa pesquisa Online?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

Acoplamentos Energéticos


Estado Vibracional 17082015

O acoplamento energético é a interfusão ou união temporária dos campos bioenergéticos de duas ou mais consciências, geralmente acontecendo, ao longo do processo, trocas energéticas entre os envolvidos.

Trata-se de um fenômeno rotineiro, que acontece o tempo todo e com todas as pessoas quando ocorre um contato interpessoal, direto ou indireto. A maioria das pessoas não se tem lucidez sobre isso.

É um fenômeno parapsíquico que transcende o tempo e do espaço.

Exemplos corriqueiros de situações que levam a acoplamentos energéticos:

  • Ao olhar com atenção para uma pessoa;
  • Quando conversamos com alguém de forma presencial ou à distância;
  • Quando lemos a mensagem enviada por uma pessoa pela Internet;
  • Quanto cumprimentamos uma pessoa com um aperto de mãos, um beijo ou um abraço;
  • Ao afagar um animal;
  • Ao cuidar de uma planta;
  • Ao subir em uma árvore.

A forma como os acoplamentos iniciam, como se encerram e às consequências para os envolvidos varia muito conforme uma série de aspectos relacionados as consciências envolvidas.

Taxonomia dos acoplamentos energéticos.

Quanto a lucidez:

  • Consciente: A consciência percebe o início, desenrolar e finalização do acoplamento.
  • Inconsciente: A consciência não percebe as fases do acoplamento.

Quanto a intensidade:

  • Forte: Pode gerar muitas repercussões.
  • Fraco: Quando gera repercussões fracas ou imperceptíveis.

Quanto ao alcance:

  • Local: As consciências envolvidas estão no mesmo ambiente.
  • Longa distância:  As consciências envolvidas estão à longa distância.

Quanto a localização:

  • Extrafísico: entre consciências extrafísicas
  • Intrafísico: entre consciências extrafísicas
  • Multidimensional: entre consciências intrafísicas e extrafísicas

Quanto a instalação:

  • Fácil: Quando instalado rapidamente.
  • Difícil: Quando a instalação demora.

Quanto a qualificação:

  • Positivo: As consciências envolvidas não ficam descompensadas, bloqueadas ou assediadas.
  • Negativo: As consciências envolvidas podem ficar descompensadas, bloqueadas ou assediadas.

Quanto a finalização:

  • Fácil: Quando o acoplamento se encerra de forma rápida e completa.
  • Difícil: Quando o acoplamento demora a ser encerrado gerando repercussões negativas para pelo menos um dos envolvidos.

Com relação ao alvo, o acoplamento pode ser realizado entre uma consciência com:

  • Os campos energéticos de outras consciências presentes em um local;
  • Os campos energéticos de outras consciências presentes em um objeto ou grupo de objetos;
  • Com um  vegetal ou grupo de vegetais;
  • Com um animal ou grupo de animais;
  • Com outra consciência ou grupo de consciências.

Você pratica a Instalação do Estado Vibracional? Que tal participar de nossa pesquisa Online?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos