Manifestações de Junho


Av. Presidentes Vargas, Rio de Janeiro, 20 de junho de 2013

Av. Presidentes Vargas, Rio de Janeiro, 20 de junho de 2013

Ao longo desse mês de junho presenciamos o desenrolar de manifestações de norte a sul e leste a oeste do país que agora fazem parte de nosso história. As pessoas foram as ruas a fim de reivindicar várias coisas, começando pela necessidade de serem ouvidas pela classe política que controla o país. Não poderia deixar de escrever algo sobre isso.

Movimentos como esse que agora ocorreu no Brasil, gestados nas comunidades sociais da Internet, são chamados enxameamentos (de enxame de pessoas) e tiveram início na Espanha em 2004.

Verificou-se no Brasil as mesmas características desses movimentos ocorridos em outros países: A partir de um protesto por algo simples (o aumento das passagens em São Paulo) o movimento ganhou corpo em todo país e os protestos diversificaram. As pessoas queriam ser ouvidas e o que elas tinham para dizer é que estavam cansadas da corrupção e das promessas nunca compridas pela classe política.

Tal como em outros países, os políticos foram pegos totalmente despreparados para entender o que estava ocorrendo, muito menos para lidar com os eventos. O que se viu no inicio foi o silêncio, na esperança que tudo passa-se logo e, depois, o desespero, pois os políticos, no fundo, tem verdadeiro pavor das multidões insatisfeitas, algo que eles não podem controlar ou manipular.

Vem então o seguinte questionamento: os eventos de junho serão algo isolado, ocorrido meramente devido a situação política do país, ou, será que existem outros fatores insuspeitos, de ordem extrafísica, influenciando-os? Aposto nessa segunda alternativa.

Embora não possamos ter uma ideia exata de sua extensão, sabemos que os eventos ocorridos na dimensão intrafísica influenciam a dimensão extrafísica e vice-versa. Então o que poderíamos dizer sobre isso? Ao invés de ficar restrito as especulações, vou relatar alguns fatos.

Pessoalmente, não colhi no extrafísico nenhuma informação sobre os eventos de junho. Seguem então algumas coisas que apurei por aqui mesmo.

A primeira coisa que notei foi a divulgação de uma mensagem apócrifa (anônima) alarmista na Internet, mais especificamente no Facebook, onde alguém alertava sobre “nuvens densas e negras que pairavam sobre o país naquele momento”. Cheguei a postar um comentário para a pessoa que compartilhou a mensagem sobre isso. Em que ela ajudava? Apenas apelava para o medo para tentar conter as pessoas. Era como se dissesse: Parem, não faça mais nada. Estava, portanto, desconectada do momento em que vivíamos e não poderia ser, portando, obra de uma mente mais esclarecida.

Consultando colegas do movimento espírita, soube que na FEB – Federação Espírita Brasileira – os comentários oriundos de comunicações mediúnicas de todo país dão conta que os eventos de junho devem ser encarados como necessários a mudança do pais e que, naturalmente, grupos menores aproveitam-se para espalhar a desordem por meio de ações de violência.

Para os estudiosos da conscienciologia, consciências evoluídas que eles chamam de serenões, estariam operando nos bastidores para mobilizá-las nesse movimento no intuito de aumentar o nível de esclarecimento e conscientização do povo brasileiro.

Uma informação de um amigo do Rio de Janeiro parece corroborar essa hipótese. Segue o seu relato:

“Tem umas formas pensamento GIGANTESCAS no Centro da cidade, sobre as Avenidas Presidente Vargas e Rio Branco. São muito positivas mas não têm muito padrão emocional. São mais de teor mental. O que eu vi eram umas bolas enormes, com uns 20-50m de diâmetro, a uns 100-200m de altura. Elas tinham uma coloração azul claro com faixas douradas ao seu redor tais como ornamentos. Eu sinto que existem outras mais pela cidade também, e está sendo muito bom isso, mas não sinto nenhum padrão emocional, só uma energia de propulsão para as pessoas…”

Então vejamos… Holopensene é o conjunto de pensamentos, sentimentos e energias de uma pessoa ou grupo de pessoas. Esse grupo de pessoas podem ser os moradores de uma residência, de um bairro, cidade, estado, país ou planeta. Cada agrupamento de pessoas tem seu próprio holopensene padrão que deriva da média dos pensenes produzidos pelos seus componentes.

Quais seriam os pensamentos típicos de uma brasileiro mediano (em termos de esclarecimento) a apenas um mês? Alguns exemplos de pensamentos frequentemente verbalizados seriam:

 “Os políticos fazem o que querem”; “Não adianta reclamar”; “Não podemos fazer nada para mudar esse país”; “Esse país não tem jeito”

Passados os recentes eventos que testemunhamos ou participamos, pergunto, como as pessoas reagiriam hoje ao ouvirem essas frases? Você ouviu alguém afirmando algo assim nas últimas senamas? Será que vai ouvir novamente algum dia?

Concluindo, faça sua parte e torne-se um agente de mudança também. Não permita que o antigo padrão de pensamentos de impotência e complacência se reinstale. Vamos continuar a mudar para melhor o padrão de pensenes de nosso país para melhor, riscando de nossa sociedade afirmações como essas acima. Está em nossas mãos.

Para Saber Mais:

Experiências Fora do Corpo – Fundamentos

Fronteira da Consciência.com

Metaconsciência.com

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Anúncios

Estado Vibracional nas Práticas Espíritas


Passe Enegético

Passe Energético

O Estado Vibracional ou EV é aplicação técnica da movimentação intensa de energias por todo o energossoma – o corpo energético – objetivando autodefesa, para-assepsia, expansão das parapercepções e a assistência interconsciencial.

O espiritismo é uma doutrina filosófico-religiosa criada pelo Francês Alan Kardec (pseudônimo) em 1857 e que teve no Brasil seu maior desenvolvimento.

Dentre as inúmeras práticas espíritas estão o passe – irradiações de energias conscienciais assistenciais – e o emprego da mediunidade em suas diversas formas de manifestação para prestar-se assistência, seja na forma de comunicações, seja na forma cura energética ou outras mais.

Via de regra, os colaboradores espíritas passam por um treinamento para desempenharem essas atividades nas próprias instituições espíritas. Até   onde sei, esse treinamento é superficial no que diz respeito a natureza e mobilização das energias conscienciais ou bioenergias.

Muitos espíritas que conheci comentaram que tem certa dificuldade, as vezes muita, em liberar-se das energias que captam durante os trabalhos de passe e atividades mediúnicas. Levam para casa, por assim dizer, rebarbas energéticas que levam horas, as vezes dias para serem dissipadas.

A prática do estado vibracional pode, nesses casos, contribuir de forma decisiva para a liberação ou desassimilação simpática – Desassim -dessas energias.

Há muitos anos, uma aluna dos cursos do IIPC Brasília que trabalhava como médium em um centro espírita já havia afirmado para mim que a melhor coisa que ela conseguira com a Projeciologia, foi a técnica do Estado Vibracional que ela aplicava após suas práticas mediúnicas.

Recentemente, um amigo espírita que também médium, contou-me que, ao promover o estado vibracional entre uma incorporação e outra durante suas atividades mediúnicas na instituição em que atua, a desassimilação das energias das consciências assistidas ocorre de forma muito mais rápida.

Normalmente, os recursos disponíveis para promover essa desassimilação são a prece e o apelo para os amparadores espirituais.

Acredito, portanto, que o EV, uma prática energética simples e que pode ser aplicada por qualquer pessoa, independente de suas convicções filosóficas ou religiosas, poderá ser usada no futuro, antes, durante e depois de todas atividades mediúnicas realizadas nos centros espíritas, assim como em outras instituições espiritualistas, com grande benefício para seus praticantes.

Você leitor é espírita? Que achas disso?

Para Saber Mais:

Experiências Fora do Corpo – Fundamentos

Fronteira da Consciência.com

Metaconsciência.com

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Pressão e Desopressão Holopensênica


A conexão com nossa paraprocedência para promover a desopressão holopensênica

A conexão com nossa paraprocedência para promover a desopressão holopensênica

Pressão holopensênica é a força produzida pelos pensenes (pensamentos + sentimentos + energias) pelo conjunto de consciências intrafísicas e extrafísicas em um determinado local e dimensão que pode ser mais patológica, incômoda, doentia ou mais hígida, saudável, benéfica, com a qual se interage diretamente.

A afinização com o padrão de pensenes da consciência reforça a pressão que pode, dessa maneira, fazer-se sentir de forma mais ou menos intensa, reforçando certos comportamentos.

O planeta Terra, onde vivemos, ainda é povoado por uma humanidade que tem por rotina promover disputas de todos os tipos: por alimentos, por água, por direitos, por ideias, por dominação, por privilégios, por sobrevivência. A natureza agressiva do planeta ajuda a reforçar esses comportamentos.

Em razão disso a dimensão intrafísica é caracterizada pela predominância desses padrões pensênicos:

– Beligerância: o belicismo, a agressividade, os conflitos físicos e armados;

– Bloqueios: o impedimento a livre expressão das idéias;

– Estigmatizações: o isolamento, ataque e perseguição a todos que não sigam os padrões de comportamento estabelecidos;

– Manipulações: a mídia induzindo as populações a serem dóceis consumidores de futilidades;

– Opressões: a opressão com objetivo de controlar idéias e comportamentos;

– Trafarismo:  incontáveis imaturidades tratadas como valores da sociedade a serem perseguidos;

– Vícios: o culto ao álcool, ao tabaco e um sem número de drogas que causam dependência química;

-Etc.

A predominância da pressão holopensênica patológica explica porque é tão fácil promover ações prejudiciais em nosso planeta e porque é tão difícil fazer o contrário, ou seja, promover ações em benefício da humanidade.

A desopressão holopensênica é o alívio, desafogo, desabafo, soltura e libertação gerado por esse ambiente.

Como promover a desopressão holopensênica?

Em primeiro lugar é preciso saber que a pressão holopensênica é tanto maior quanto mais consciências intra e extrafísicas estiverem em um local. Ou seja, em um grande centro urbano ela será maior do que em um pequeno vilarejo e no campo será menor do que nesse segundo.

Isso explica porque as pessoas, por vezes, sentem-se tão bem ao deixarem suas rotinas nos grandes centros urbanos para passarem algum tempo no campo, no interior, em meio a natureza.

As seguintes ações podem ser consideradas para promover a desopressão holopensênica:

(1) Manter um nível de lucidez mais elevado do que a media da humanidade, estudando e praticando o domínio das bioenergias, as questões relativas a multidimensionalidade e o papel que precisamos exercer para mudar esse mundo para melhor;

(2) Praticando o EV – Estado Vibracional – rotineiramente para romper com acoplamentos energéticos patológicos;

(3) Cultivando a ortopensenidade – os pensenes corretos – não pensar mal de nada nem de ninguém, não cultivando pensamentos, sentimentos e energias patológicos, beligerantes, egoicos, relacionados a disputas de todos os tipos;

(4) Desenvolver as percepções parapsíquicas no sentido de perceber e discriminar os pensenes e atuar para não deixar se envolver pelos padrões patológicos;

(5) Procurar manter uma conexão com a dimensão extrafísica mais evoluída de onde viemos (Veja na figura acima). Uma forma de fazermos isso é por meio a assistência a outras pessoas.

Sempre que procuramos assistir, ajudar outras pessoas, visando seu bem, sem envolver ganhos pessoais, estaremos nos conectando de várias formas com essa nossa paraprocedência (a dimensão que habitávamos antes de renascer). Estaremos abrindo nossas mentes para a atuação dos amparadores extrafísicos que habitam essas dimensões e será para lá que retornaremos quando a existência atual findar.

Quem veio de dimensões extrafísicas doentias e pouco evoluídas – figura acima – não vai ler esse post e, se o fizer, não vai entendê-lo. Essas consciências (a imensa maioria da humanidade) são permanentemente dominadas pela pressão holopensênica. São aquelas pessoas que chamamos de robotizadas.

Quanto a nós, precisamos manter nossa vigilância para não embarcamos nesses padrões. É para enfrentar esse desafio, dentre outros, que estamos, eu e você leitor, vivendo nesse mundo.

Referências:

Resolução de Conflitos Grupais e Conciliabilidade – Jacqueline Nahas – IIPC

Verbete Desopressão Holopensênica – Enciclopédia da Conscienciologia

Para Saber Mais:

Experiências Fora do Corpo – Fundamentos

Fronteira da Consciência.com

Metaconsciência.com

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Uma Experiência Pessoal Envolvendo Energias Gravitantes


A seta vermelha mostra a parte onde abundam as energias gravitantes

A seta vermelha mostra a parte onde abundam as energias gravitantes

Energias gravitantes são as energias extrafísicas conscienciais estáticas existentes em torno de objetos, locais, pedaços ou restos de objetos, de construções, pedaços ou restos de construções (ou os restos de ambos) e até mesmo em torno de consciências intrafísicas ou extrafísicas formando um campo que pode ser percebido por uma pessoa com parapsiquismo certo grau de parapsiquismo.

Sobre esse assunto, escrevi um post recentemente.

Agora vou descrever uma experiência que vivenciei recentemente envolvendo energias gravitantes.

No início de maio desse ano estive em Berlin e fui vistar a cúpula do Reichstag, o Parlamento Alemão.

Com a Segunda Guerra Mundial, a quase totalidade da capital alemã foi arrasada. Poucos prédios antigos chegaram aos dias atuais. O Reichstag foi um deles. O prédio ficou abandonado por 60 anos, desde que os nazistas assumiram o poder na Alemanha até sua reunificação na década de 90. O que restava do prédio foi restaurado e modernizado. No local da antiga cúpula que encimava o prédio, há muito tempo destruída, foi erguida uma nova e ultramoderna construção de alumínio e vidro, um projeto do arquiteto inglês  Norman Foster.

O projeto é tão bom que a cúpula tornou-se um dos locais mais visitados em Berlin, tanto por alemães quanto por estrangeiros. Atráves de suas paredes de vidro, grande parte de Berlin pode ser vista.

Chegando ao local num enorme elevador expresso, a primeira coisa com que o visitante se depara é um amplo salão onde uma coluna central sustenta a cúpula (veja no detalhe da foto acima). Ao redor dessa coluna foram adicionados espelhos e, na base, uma grande bancada que a circunvolve. Sobre essa bancada foram dispostas inúmeras fotos que contam a história do prédio, os eventos mais importantes desde sua construção no final do Século XIX.

Comecei então a caminhar ao redor dessa bancada observando as fotos uma a uma. Em dado momento, senti forte repercussão energética. Estava diante de uma foto que mostrava a primeira sessão do parlamento da Alemanha Ocidental, ocorrida no final da década de 1940, presidida por Konrad Adenauer. Fiquei surpreso e curioso. Qual seria o motivo disso? Continuei caminhando pela bancada e percebi o seguinte: a metade da bancada ocupada por fotos após a Segunda Guerra Mundial provocava a repercussão energética e a metade ocupada por fotos anteriores a guerra não.

Conclui então o seguinte: As pessoas que vão visitar o local, principalmente os Alemães, identificam-se com as fotos mais recentes pois fazem parte de sua própria história, de seus pais, familiares mais íntimos e amigos. São eventos que muitos deles presenciaram e dos quais até participaram. Então as pessoas se emocionam, as vezes até as lágrimas, pois sofreram muito para reerguer seu país das ruínas e depois reunificá-lo. Com as fotos mais antigas isso não ocorre. A maioria das pessoas que viveram nessa época, anterior a 1933 já faleceram. As pessoas não se identificam com esse passado já distante e, portando, os sentimentos e emoções que despertam são muito menos expressivos que as fotos mais recentes. Para dizer a verdade, é como se essas fotos antigas nada significassem para  maioria das pessoas.

Assim temos que, metade da bancada está repleta de energias gravitantes relacionadas a emotividade das pessoas e a outra metade não. Veja na foto acima a área repleta de energias gravitantes. Nos detalhes são mostrados o interior e o exterior da cúpula.

Para saber mais

Experiências Fora do Corpo – Fundamentos

Fronteira da Consciência.com

Metaconsciência.com

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Autodefesa contra Assédio Extrafísico


vector abstract meditation yoga

 

Esse post foi motivado pela seguinte questão, publicada em uma lista de discussão na Internet da qual participo.

“Deixando de lado, quaisquer métodos místicos, como fazer para se defender de uma obsessão/assédio espiritual ? Quando se sente que está sendo assediado sem conseguir se libertar da influência espiritual que se torna forte, deve-se deixar rolar até o suposto espirito assediador de alimentar de suas energias vitais, ou deve-se lutar contra esse assédio até a consciência extrafísica sair fora?”

Pois bem. Existem três procedimentos básicos que podem ser empregados quando a pessoa sabe que está sob intenso assédio/obsessão espiritual:

1 – Instalar vários EVs, o tanto de vezes que for necessário, até que o assédio termine. EV ou Estado Vibracional – é uma técnica de mobilização de suas próprias energias conscienciais e é o procedimento mais adequado para esses casos.

2 – Além de instalar os EVs deve-se mudar imediatamente o padrão de pensamentos, sentimentos e energias. Parar com qualquer tipo de pensamento, sentimento ou emoção negativa, destrutiva, culposa (autoculpas), etc, quanto a si próprio e quanto a qualquer outra consciência, intrafísica ou extrafísica, ou grupos de consciências ou ainda a instituições.

3 – Por fim, se necessário, pode-se ainda apelar para amparadores extrafísicos, invocando-os mentalmente para que venham em seu auxílio.

O EV é apropriado para afastar consciências extrafísicas mais “pesadas” que fazem assédio acoplando-se as energias do energossoma do assediado. Existem, contudo, consciências assediadoras que atuam a distância, emitindo pensamento, sentimentos e energias longe do assediado. Para esses casos, o EV pode não ser efetivo e, nesse caso, a mudança do padrão de pensamentos ajudará.

A pessoa que se ver em uma situação de assédio intenso e não conseguir, por si s, superar o assédio extrafísico, não pode ficar “marcando passo”. Deve procurar auxílio imediato junto a pessoas que possam auxiliá-la a superar esse assédio, que terão que possuir expertise em mobilização de energias com finalidade assistencial.

Quanto mais tempo durar um assédio, mais difícil será removê-lo.

Os mesmos procedimentos acima também valem para os assédios promovidos por consciências intrafísicas.

Para saber mais

Experiências Fora do Corpo – Fundamentos

Fronteira da Consciência.com

Metaconsciência.com

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos