Isca Interconsciencial


EV18072013

Etapas da Iscagem: 1 – Percepção; 2 – Atuação; 3 – Acolhimento; 4 – Encaminhamento

Assédio Interconsciencial é a invasão ou intrusão doentia de pensamentos, sentimentos (emoções) ou energias de uma consciência na outra.

Como existem consciências intrafísicas e extrafísicas, o assédio interconsciencial pode ocorrer de quatro maneiras possíveis: partir de uma consciência extrafísica em direção a uma consciência intrafísica e vice-versa, assim como de consciência extrafísica para extrafísica e intrafísica para intrafísica.

Vamos focar nesse post no assédio de uma consciência intrafísica por uma consciência extrafísica.

Ora, praticamente todas as pessoas, cidadãos planetários da humanidade intrafísica estão sujeitos ao assédio extrafísico.

Algumas formas de assédio são mais sutis, quando ocorrem no âmbito do pensamento, sendo difíceis de serem percebidas.

Outras formas são mais grosseiras e facilmente perceptíveis, quando ocorrem no nível energético: a pessoa assediada se sente mal, por vezes acometida por dores e até pode ficar doente em função disso.

Como tratar esse tipo de assédio interconsciencial mais grosseiro? Existem várias maneiras, das quais vamos apresentar uma, mais sofisticada, a Iscagem Interconsciencial Lúcida.

Isca interconsciencial é a pessoa, consciência intrafísica, que atua ao modo de isca energética perante consciências ou grupos de consciências extrafísicas doentias, enfermas, ou conseneres – consciências energívoras sem contrair traumas físicos, energéticos ou psicológicos.

Iscagem interconsciencial é o ato de agir como isca. É um tipo de relação ente consciências intrafísicas e extrasicas que consiste na primeira atrair e reter nas suas proximidades, dentro da sua psicosfera, uma consciência extrafísica enferma a fim de promover o desassédio de outra consciência intrafísica.

São sinônimos de Isca Interconsciencial: Isca lúcida, Isca interassistencial, Isca espiritual, Isca assistencial consciente, Isca assistencial, Isca humana lúcida.

Existem dois tipos de Iscagem interconsciencial:

  • A iscagem inconsciente: quando a pessoa faz a iscagem sem saber e sem perceber.
  • A iscagem Lúcida (ou consciente), quando a pessoa sabe o que está fazendo, no caso, iscando um assediador a fim de promover o desassédio de outra consciência intrafísica.

A Iscagem Inconsciente é assediadora, patológica, uma conduta padrão da humanidade conjugada com a atuação de assediadores. É um pocesso vulgar, primitivo, e assediador, ou seja, a pessoa que atua como isca fica assediada. É um fenômeno corriqueiro. A isca inconsciente é uma pessoa programada pelos condicionamentos robotizantes da dimensão intrafísica. É uma consciência travada.

A Iscagem Lúcida é assistencial, sustentada por amparadores, evolutiva, uma conduta exceção, rara em nossa humanidade. É um pré-quesito para outros processos conscienciais mais avançados, como por exemplo, estabecer-se como epicentro consciencial – uma pessoa que agrega e coordena ao seu redor grupos de pessoas que atuam com tarefas assistenciais ou um desperto. e a desperticidade – a pessoa livre de assédios interconscienciais. Esse processo é acompanhado por amparadores extrafísicos, trabalhado com empenho e dedicação, uma ação que denota um padrão evolutivo superior a média humana, o início do processo de libertação de todos os assédios interconscienciais (desassedialidade).

Tem gente que percebe a iscagem posteriormente. Nesse caso, ela não fez uma iscagem lúcida.

Bucha de Canhão são as pessoas que ficam com as rebarbas, as sobras de qualquer processo danoso. A isca inconsciente é uma bucha de canhão pois fica com as rebarbas dos processos de assédio sem querer, sofrendo por conta disso. É a consciência antena ou consciência esponja. A isca consciente, ao contrário, não sofre pois sabe exatamente o que e o porquê do que está fazendo.

No que se refere a dimensão, a iscagem lúcida pode ser feita intrafisicamente ou extrafísicamente, sendo essa última realizada pelo projetor consciente que evoca a consciência extrafísica durante a projeção consciente e, eventualmente, até mesmo antes de sua realização.

A iscagem pode ser feita para desassediar desde os parentes mais próximos, até pessoas desconhecidas com quem a isca precisa se relacionar ao longo de sua rotina diária.

Como funciona a iscagem na prática? Nada melhor do que a descrição de um caso.

Citando Waldo Vieira, conforme descrito em seu livro Projeciologia: “A isca puxa tudo para si e não devolve para a pessoa. Ela vai trabalhando as energias até dissipar o processo. Lá pelas tantas o amparador aparece, “enxagua” e leva o assediador, ou então, a própria isca faz esse “enxague” e o assediador é levado. O assediador pode seguir para uma oficina extrafísica – ofiex (um local de assistência extrafísico mantido pela consciência expert em assistência energética) ou para outro local. A pessoa assediada começa a ficar limpa. Se for preciso ele (Waldo) permite a consciência assediador fazer uma possessão benigna. Isso faz com que as energias do assediador se esgotem, “estabilizando-o” para poder ser assistido. Na abordagem de um caso de assombramento com poltergeister, num local com “caveira de burro”, acolhi, junto a mim, desde as 9 horas da manhã — o momento do acoplamento áurico — até às 18 horas, quando foi feita a exteriorização de energia no local infestado, bem como afastada e encaminhada uma entidade parapsicótica com o psicossoma todo alterado, um dos pivôs das ocorrências. Nessas nove horas de vivência na condição de isca extrafísica, ou “encosto” consciente, senti, em silêncio, dores constantes e paralisia no dedo médio da mão esquerda, no cúbito e na área da articulação do cotovelo do braço esquerdo. Todas as dores, a paralisia e outros sintomas incômodos desapareceram no momento exato da retirada da entidade viva de junto de mim.”

É importante observar quem nem todas as consciências extrafísicas podem ser assistidas por meio da iscagem lúcida.

Uma pessoa pode ser lúcida quanto a vários processos da consciência e não atuar como isca. Depende do nível de parapsiquismo que ela possui assim como da sua lucidez especificamente para esse processo. Seja como for, a atuação como isca interconsciencial lúcida é um caminho inevitável na evolução da consciência. Quer ela queira ou não, chegará o momento em que perceberá o a atuação do assédio por sobre pessoas sem que essas percebam e terá então que atuar de forma assistencial. Ela não poderá omitir-se.

A Iscagem quando desenvolvida e mais avançada pode levar a ocorrência da assim – assimilação simpática – da pessoa que atua como isca com a dupla consciência assediada/assediadora o que pode, naturalmente, causar desconforto. Quando isso ocorre, ela pode precisar trabalhar energeticamente com o EV, após a conclusão da assistência, para promover a desassim – desassimilação simpática.

Se a pessoa for ectoplasta poderá fazer iscagem de alto nível o tempo todo.

Iscagem ampliada: É aquela que ocorre quando a pessoa já tem confiança em seus processos energéticos e sabe em que situações consegue fazer o processo de assistência por meio da iscagem com desenvoltura. Nesses casos a pessoa entra “de cabeça” na iscagem quando a situação surge para resolver a situação.

Outra forma de iscagem avançada é o “ataque paraterapêutico”, um processo onde um assediador ataca diretamente a isca, ou seja, ele não precisa ser iscado de outra pessoa assediada e, durante esse ataque ele acaba ficando preso, encapsulado pelas energias da isca. Ao término do processo de iscagem o assediador fica desarmado de capacidade energética e, psicologicamente abalado por essa situação. A partir dai assume a equipe extrafísica de amparadores.

O desenvolvimento para se estabelecer como isca consciencial lúcida em quatro passos:

  • O primeiro passo, naturalmente, é conhecer, inteirar-se sobre esse processo.
  • O segundo passo é dominar as técnicas básicas de mobilização de energias conscienciais, em especial a instalação do EV – Estado Vibracional.
  • O terceiro passo é tornar-se capaz de perceber a atuação do assédio interconsciencial por sobre si mesmo, reconhecendo que o padrão de pensamentos, sentimentos e energias enfermiços do assédio.
  • O quarto passo é mapear sua sinalética parapsíquica a fim de identificar o início, o transcorrer e o fim do processo.

A sinalética que evidencia a atuação de uma pessoa como isca interconsciencial pode envolve, dentre outros sinais: leve obnubilação consciencial; sensação de opressão indefinível; sensação de peso sobre o tórax; irritabilidade surda sem motivo, diferente do próprio temperamento; exaustão física sem causa visível; mal-estar repentino geral, sem causa evidente; sentimento de mal iminente; sono irresistível; idéias de tristeza, melancolia ou pessimismo, estranhas aos hábitos mentais rotineiros, denotando interferências parapsíquicas; impressão da presença próxima, intangível, de alguém desconhecido; correntes energéticas inabituais ou vibrações desagradáveis varrendo o corpo humano; percepção de odores nauseantes sem origem; descoincidência vígil excessiva.

Referências

Enciclopédia da Conscienciologia – Waldo Vieira

Projeciologia – Panorama das Experiências Fora do Corpo – Waldo Vieira

Tertúlia Conscienciológica Número 1945 – Isca Humana Lúcida

Tertúlia Conscienciológica Número 2026 – Ataque Paraterapêutico

Tertúlia Conscienciológica Número 2683 – Trafor Dessassediador

Para Saber Mais:

Experiências Fora do Corpo – Fundamentos

Fronteira da Consciência.com

Metaconsciência.com

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s