Taxonomia das evocações interconscienciais


Taxonomia das Evocações Interconscienciais

Você costuma fazer evocações? Não? Tem certeza sobre isso?

Vamos iniciar esse post lembrando que as consciências (espirito, alma, self) interagem no universo por meio da energia. Mesmo nossas ações no corpo físico são manifestações energéticas. Logo, tudo é governado pela energia ou, mais precisamente, pelas trocas energéticas.

Posto isso, o que é, então, uma evocação?

A palavra evocação é proveniente do latim, evocatione, e refere-se, em termos gerais, a ação ou efeito da consciência, intrafísica ou extrafísica, de realizar o resgate voluntário da memória de lembranças sobre uma determinada pessoa, grupo de pessoas, local, animal ou objeto com objetivo de revivenciar uma situação.

Evocação também é o termo usado para descrever a tentativa de atração de consciências. Ao longo da história foram criados rituais, fórmulas e cerimônias específicas com essa finalidade. Nesse caso, também é empregado como sinônimo a palavra invocação, proveniente do latim invocatio que significa pedir a ajuda ou intercessão de alguém.

Então, no senso comum, o ato de evocar outras consciências deve ser uma ação deliberadamente realizada com essa finalidade. Mas, na maioria das vezes, não é assim que ocorre.

A evocação interconsciencial é uma troca energética, contato, comunicação ou aproximação energética do alvo evocado. Nesse sentido temos a seguinte escala de contatos interconscienciais:

  • 1 – A evocação;
  • 2 – A comunicação à distância por meios tecnológicos ou não;
  • 3 – O contato físico, presencial.

Podemos entender  melhor a evocação como um acoplamento energético que é a interfusão temporária dos campos energéticos de duas ou mais consciências, geralmente com algum tipo de troca bioenergética. Acoplamentos energéticos de tipos variados ocorrem o tempo todo no dia-a-dia.

Evocação interconsciencial é enviar energia para alguém.

Taxonomia das evocações interconscienciais

A primeira característica que qualifica uma evocação interconsciencial é a condição de manifestação das consciências envolvidas no processo:

  • Extrafísica: Uma consciência evocando outra, ambas extrafísicas;
  • Intrafísica: Uma consciência evocando outra, ambas intrafísicas;
  • Multidimensional: Uma consciência evocando outra, sendo uma extrafísica e a outra intrafísica.

Em seguida vem o aspecto do tipo de energia mobilizada durante a evocação:

  • Mentalsomática: Evocação empregando predominantemente energia mentalsomática, centrata nos pensamentos. Ex: pensar em uma pessoa;
  • Psicossomática: Evocação empregando predominantemente energia psicossomática, centrata nos sentimentos, emoções. Ex: Desejar uma pessoa; xingar uma pessoa;
  • Energossomática: Evocação empregando predominantemente energia energossomática, centrata nas energias. Ex: Exteriorizar energia para uma pessoa desejando seu bem ou o seu mal.

A partir desse ponto, as setas da figura, até então todas da mesma cor cinza, passam a ser pretas e com um traço que indica a intensidade ou força da evocação. Uma linha cheia indica intensidade elevada, uma linha com traços largos indica intensidade mediana e uma linha com traços curtos indica baixa intensidade.

Com relação a intencionalidade, a evocação pode ser:

  • Lúcida: Quando quem evoca sabe exatamente o que está fazendo, tem consciência de que está evocando alguém, mesmo que esse não seja seu objetivo primátio. Ex: Ao citar uma pessoa durante uma aula, apresentação, discussão ou conversa;
  • Inconsciente: Quando quem evoca não sabe o que está fazendo, não sabe que, sem perceber, faz evocações. Ex: Ao citar uma pessoa durante uma aula, apresentação, discussão ou conversa.

Com relação a abordagem, a evocação pode ser:

  • Direta: Quando a intensão, foco, alvo principal é o evocado. Ex: Exteriorizar energias para o evocado;
  • Indireta: Quando a intensão, foco, alvo principal não é o evocado. Ex: Ao citar uma pessoa, grupo de pessoas ou evento durante uma aula, apresentação, discussão ou conversa;

Por fim, quanto as consequências da evocação, elas podem ser classificadas de três formas:

  • Positiva: Quando ocorre a troca de energias empáticas, positivas, entre evocador e evocado. Ex: Quando evocamos com boa intenção uma consciência lúcida e equilibrada;
  • Neutra: Quando ocorre a troca de energias neutras ou quando não ocorre troca perceptível de energias entre evocador evocado. Ex: Quando evocamos uma consciência muito evoluída mas sem ter a necessária sintonia bioenergética com ela;
  • Negativas: Quando ocorre a troca de energias antipáticas entre evocador evocado, o que pode causar desequilíbrios e bloqueios bioenergéticos além de assédio interconsciencial. Ex: Quando movidos por intensões não louváveis, evocamos uma consciência com baixo nível de lucidez, doentia, negativa ou assediadora. Palavrões, críticas, fofocas sobre pessoas, grupos ou instituições são formas corriqueiras de evocação negativa.

Canais sensoriais da evocação

Ainda sobre evocação, ela pode se dar por meio de vários canais sensoriais:

  • Imaginativa: A evocação mental;
  • Imagética: A evocação por meio de uma imagem, por exemplo, uma fotografia;
  • Simbólica: Um caso de evocação imagética na qual se emprega um símbolo;
  • Verbal: A evocação verbalizada;
  • Musical: Um caso de evocação verbalizada na qual uma música evoca por meio de palavras ou mesmo sem elas, pela melodia dos instrumentos;
  • Olfativa: A evocação causada pela presença de odores cujo significado geral é de conhecido público ou quando um dado odor tem significado específico para os envolvidos;
  • Tátil: A evocação provocada pelo contato com superfícies ou certos tipos de material;
  • Bioenergética: A evocação causada pelas manifestações bioenergéticas do evocador ou de outras consciências.

Conclusão

Após ter lido este post, responda para você mesmo: Qual tipo de evocações interconscienciais, conscientes ou inconscientes faço rotineiramente? São predominantemente positivas ou negativas? Por que não começar a reduzir as evocações negativas até eliminá-las por completo? Que impacto isso teria em minha vida?

Você pratica a Instalação do Estado Vibracional? Que tal participar de nossa pesquisa Online?

Acesse a pesquisa nesse link.

Para saber mais:

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

Anúncios

10 comentários sobre “Taxonomia das evocações interconscienciais

  1. Estou te encaminhando, apesar de vc já saber, mas tem umas coisas interessantes lá em baixo, pelo que entendir, não podemos falar de ninguém, nem mesmo pensar, vixe!! Mas fica difícil isso!! Como podemos viver sem pensar nas pessoas, falar etc, sei que falar mal é complicado, mas como fazer terapias, desabafar??? Muitas vezes quando falamos conseguimos aliviar um pouco o que passamos, ficou difícil viu! Mas vamos lá, vamos tentar! Agora, como é com a tenepes, vcs tem que ler o nome não é verdade? Eita ferro, complicado.Bjos.

    Date: Sun, 9 Aug 2015 14:58:21 +0000 To: marizarsol@hotmail.com

    • Olá Mariza

      Boas as suas colocações. O causo é o seguinte… Pensar é evocar. Logo, não deve existir consciência que não faça evocações. Mas o problema não é esse. O problema são as evocações negativas, aquelas que direcionam energias negativas, contrárias a uma pessoa, grupos de pessoas, instituição, local, etc. São essas que devemos ir eliminando sistematica e continuamente. Você já parou para pensar sobre amparadores que habitam dimensões muito evoluídas? Será que eles fazem evocações negativas? Improvável. O que acontece então com a pessoa que fica 10, 20, 30 anos, sistematicamente eliminado suas evocações negativas, até chegar num ponto em que se iguala a um desses amparadores? O que será da vida dela a partir dai? Para onde ela vai ao término da existência atual? Porque esperar para fazer esse trabalho íntimo depois que morrermos? Que tal começarmos agora? A ideia é essa. Sem traumas, sem forçar a barra. Simplesmente refletindo sobre o que pensamos e sentimos no dia a dia e depuramos isso. Simples assim. Agora se você for “danada” pode acompanhar este seu desempenho por meio de autoanálises escritas, planilhas etc. Assim, a tendência é caminhar mais rápido.

      Com relação a tenepes, existem muitas variações. Cada caso é um caso. O padrão não é fazer tenepes para nomes de pessoas mas para consciências cuja identidade desconhecemos e que são levadas ao tenepecista pelos amparadores.

      Abraço

      Cesar Machado

  2. Eu e um grupo estamos fazendo estudos nessa área. O interessante é que conseguimos ajuda de seres espirituais (mestres) que estão nos auxiliando. Ao final, tem tudo a ver com expansão da consciência e Transição Planetária…

  3. Estou muito interessada neste assunto, pois sinto que tenho sido “evocada” contra a minha vontade, e induzida e evocar pessoas que não tenho interesse em manter vínculos fortes, pois os mesmos vivem fazendo atribuições de coisas chamativas usando energia intencional nas falas. Lerei o material com atenção e desde já agradeço que tenha publicado sua pesquisa !

    • Obrigado Martha

      Quanto as suas dificuldades, recomendo a prática rotineira do EV, várias vezes ao dia e, principalmente, quando sentir energias estranhas em seu campo pessoal de energias.

      Abraço

      Cesar Machado

  4. Olá Cesar

    Poderia explicar melhor como funciona o assédio interconsiencial nas evocações negativas? Por exemplo, numa discussão de cotidiano entre irmãos, ou pais, nesse momento e depois ao pensar sobre o ocorrido, mesmo numa terapia (como mencionado no comentário) estaremos sofrendo assédio das consciências que acompanham essa pessoa? E como fica a questão da receptividade, certa vez lendo sobre energias, li que quando a pessoa não sintoniza com tal evocação/pensamento aquilo não a afeta ou afeta menos, é isso mesmo? Isso vai depender da evolução da pessoa, ou de quem ela é, em termos energéticos? Como ficam as pessoas públicas, como políticos, escritores, pensadores, artistas e afins, que são também evocadas negativamente ou com carências e desejos? Elas vão sofrer mais assédios, ou isso dependerá da receptividade? E no caso dos artistas que ao estarem cantando, dançando, atuando, querem receber tal tipo de energia (de desejo, admiração), aquela energia não os fará bem mesmo assim? No caso de pensar negativamente sobre um grupo, como o estado islâmico por exemplo, tais consciências relacionadas a esse grupo irão nos afetar? Desculpa a ignorância, sou nova no assunto!

    • Olá Larissa.

      Vejamos então.

      “Numa discussão de cotidiano entre irmãos, ou pais, nesse momento e depois ao pensar sobre o ocorrido, mesmo numa terapia (como mencionado no comentário) estaremos sofrendo assédio das consciências que acompanham essa pessoa?”

      Sim, isso PODE acontecer. Vai depender o que estamos pensando e sentindo com relação ao irmão ou pai. Se estivermos com raiva, ciúme, mágoa, ou sentimentos parecidos, estaremos dando acesso ao assédio. Se estiver pensando no sentido de entender a outra pessoa, obter uma conciliação ou algo assim, estaremos dando acesso ao amparo extrafísico. Então, a todo momento fazemos evocações e somos influenciados extrafisicamente. Se amparo ou assédio, depende do que produzimos.

      “E como fica a questão da receptividade, certa vez lendo sobre energias, li que quando a pessoa não sintoniza com tal evocação/pensamento aquilo não a afeta ou afeta menos, é isso mesmo?”

      Sim, de fato. Vai depender da “frequência” em que a pessoa, alvo das evocações/pensamentos estiver. Quanto mais equilibrada, centrada, energizada, amparada estiver, menos sentirá. Em tempo: a maioria das pessoas não vive nesse padrão, correto?

      “Isso vai depender da evolução da pessoa, ou de quem ela é, em termos energéticos?”

      Sim vai depender da evolução que é o mesmo que os aspectos energéticos. Quanto mais evoluída, melhores são as energias.

      “Como ficam as pessoas públicas, como políticos, escritores, pensadores, artistas e afins, que são também evocadas negativamente ou com carências e desejos?”

      Boa essa. Veja, muitos não conseguem se segurar em seus cargos/profissões, ficam desequilibrados, viciam-se em drogas, alcool e outras coisas. Alguns se suicidam. Outros desenvolvem doenças graves. Aqueles que conseguem se segurar ou são mais equilibrados ou tem amparo inerente a função (imagine quanto amparadores um presidente da república ganha quando toma posse do cargo, mereça ou não). As vezes o “amparo” são na realidade um batalhão de guias cegos que “protege” a pessoa.

      “No caso de pensar negativamente sobre um grupo, como o estado islâmico por exemplo, tais consciências relacionadas a esse grupo irão nos afetar?”

      Se você ficar pensando negativamente quanto a um grupo qualquer, como esse por exemplo, ou vai evocar assediadores que nada tem a haver com o grupo mas sempre aproveitam esse padrão de pensamento para nos influenciarem, ou, pior, vais evocar os assediadores diretamente ligados ao grupo sim. Então o melhor mesmo é não pensar mal de ninguém, por pior que seja. É difícil, eu sei, mas o caminho da evolução é esse. Temos, em última instância, que agir e pensar como os amparadores. Você acha que um amparador extrafísico vai ficar pensando mal de alguém? Não dá. Se fizer isso, entra na faixa do assédio. Se conseguirmos fazer isso aqui no intrafísico, quando chegarmos no extrafísico, seja por meio de uma projeção lúcida, seja após a morte, já estaremos no nível dos amparadores, coisa que a maioria das pessoas que se tornam amparadoras (poucas, por sinal) leva muitos anos para conseguir após a morte do corpo físico.

      Abraço

      Cesar Machado

      • Olá amigo,se uma pessoa pensa em uma prostituta por exemplo,ela pode acabar evocando uma série de assediadores/obsessores ligados a ela,correto?
        Acontece que eu me descuidei e fiquei pensando em uma que vi por acaso na internet alguns dias atrás e certo dia fui dormir e acordei paralisado e tinha um ser negro em formato de sombra do lado de mim na cama que parecia querer me sufocar.Reconheço que a culpa foi minha por permitir tal pensamento que me levou a baixar minha frequência e perder a proteção que eu tinha.
        Irei orar pedir a Deus perdão e tentar manter minha vibração alta constantemente,creio que se eu andar na linha não irá mais acontecer essas coisas.

      • Olá Glauber

        Para evocar assediadores não é preciso pensar em uma prostituta. Basta pensar mal de algo ou de alguém para sintonizarmos com consciências doentes que vibram na mesma faixa. No nível evolutivo em que nos encontramos, é quase inevitável cairmos nesse padrão de pensamento de vez em quando. Cumpre cuidar para isso aconteça cada vez com menor frequência. Mas quando acontecer, não adianta ficar se culpando. Precisamos refletir sobre o assunto e ir aprendendo. Não creio que deva pedir perdão. Se você reconhece que vacilou com seus pensamentos e energias e pretende se cuidar para isso não mais acontecer, já está bom. Se isso te fizer se sentir melhor, faça suas orações e se reconcilie com seus amparadores (não que eles precisem disso) e principalmente consigo mesmo. Reflita sobre suas carências, sobre porque você as tem e como pode satisfazê-las de outra forma. Isso não é fácil. É um verdadeiro desafio mas um dia chegamos lá.

        Abraço

        Cesar Machado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s