O Ato de Bocejar


985743895

Bocejar, oscita ou boquejar é o ato de alongar os maxilares, abrindo os lábios escancaradamente, tomar fôlego profundo seguido por uma expiração mais curta e terminando fechando a boca. Um ato tão simples, presente na maioria dos vertebrados, mas que ainda guarda mistérios. Passei por alguns dias com muito bocejamento e fiquei curioso. Resolvi então  pesquisar melhor o assunto. Afinal, o que se sabe sobre o bocejo?

A ocorrência do bocejo tem três bases ou causas possíveis: fisiológica, psicológica e bioenergética.

Base Fisiológica

Senso comum. O senso comum sugere que o bocejo é indicador da necessidade de sono pelo organismo ou de que a pessoa está com tédio provocado pela rotina.

Metabolismo. As pesquisas corroboram com as afirmações comuns de que o ato de bocejar está relacionado a momentos de baixo metabolismo do corpo.

Sono. Contudo, estudos científicos recentes indicaram que o bocejo não é um chamado ao sono, mas na realidade uma forma do organismo driblá-lo. Ao bocejar a pessoa estimula a circulação sanguínea e diminui a temperatura corporal, o que colabora para aumentar o estado de atenção.

Tédio. A hipótese do bocejo com indicador de tédio não explica o motivo pelo qual os atletas bocejam antes de uma competição.

Fetos. Bocejos espontâneos são observados até em fetos ainda dentro do útero.

Frequência. Bocejos podem ocorrer em surtos com intervalo de tempo altamente variável.  Não há relação entre sua frequência e duração; a produção de bocejos curtos ou longos não implica em maior ou menor frequência.

Oxigênio. Acreditava-se que o bocejo estaria relacionado a necessidade do organismo em aumentar a absorção de oxigênio. Contudo experimentos envolvendo a redução do dióxido de carbono do ambiente e o fornecimento direto de oxigênio para voluntários não diminuiu a quantidade ou impediu que os bocejos acontecessem.

Doenças. O bocejar excessivo é relatado em casos de esclerose múltipla indicando que pode ser causado por diferentes transtornos neurológicos comuns e também por aumento dos níveis de alguns hormônios tais como o cortisol.

Hipótese. Hoje acredita-se que o bocejar é uma operação que envolve múltiplas funções fisiológicas.

Base Psicológica

Contágio. O bocejo induzido por contágio psicológico: um indivíduo sente vontade de bocejar em resposta a escutar, ver alguém ou até mesmo pensar em bocejar.

Chimpanzés. Os bocejos contagiosos são identificados em seres humanos, chimpanzés e cães.

Suscetibilidade. Algumas pessoas são mais suscetíveis aos bocejos contagiosos do que outras. Indivíduos com autismo ou esquizofrenia demonstram menor suscetibilidade apesar de ainda bocejarem espontaneamente.

Proximidade. Recentes estudos realizados por Ivan Norscia e Elisabetta Palagi, da Universidade de Pisa, demonstraram que o contágio do bocejo é dirigido primariamente pela proximidade emocional entre indivíduos, sendo mais provável de acontecer entre membros de uma família, amigos e conhecidos e menos provável entre estranhos.

Temperatura. Pesquisadores das Universidade de Viena concluíram que o bocejo contagioso ocorre somente com temperaturas externas amenas, excluindo temperaturas extremas (muito quente ou muito frio).

Idade. Outros estudos revelaram que bocejos contagiosos diminuem com a idade levando a crer que uma melhor compreensão de suas causas biológicas por levar também a um melhor entendimento sobre doenças como autismo e esquizofrenia.

Altismo. Um estudo de 2007 descobriu que crianças com transtornos do espectro do autismo não aumentam a sua frequência bocejar depois de ver vídeos de outras pessoas bocejando, diferindo assim de crianças com desenvolvimento típico. Os experimentos reforçaram a hipótese de que o bocejo contagioso está relacionado à capacidade empática.

Cães. Um estudo realizado pela Universidade de Londres, sugeriu que o contágio de bocejos por um ser humano passam para os cães. O estudo observou que 21 de 29 cães bocejou quando um estranho bocejava na frente deles, mas não bocejaram quando o estranho apenas abria a boca.

Base Bioenergética

Superstição. Algumas culturas emprestam ao bocejar um significado espiritual baseado em superstições e sem sustentação nas base de conhecimentos sobre o parapsiquismo.

Indicador. O bocejo na forma de uma manifestação consciencial simples e corriqueira do cotidiano é um indicador de uma troca energética.

Desintoxicação. O bocejo é uma forma de expelir energias densas e negativas acumuladas na estrutura do soma-energossoma.

Neurovegetativo. O bocejo com lacrimação, depois de instalar o EV, é um indicativo de que o sistema neurovegetativo do praticante foi sensibilizado.

Desassim. O bocejo acompanhado de lacrimação após apresentar uma aula, uma palestra ou após ter participado de trabalho bioenergético é indicativo de que não foi realizada a desassim, a desassimilação simpática das bioenergias absorvidas.

Chacras.  Durante trabalhos bioenergéticos, o bocejo promove exteriorização de grande quantidade de energias conscienciais, especialmente ectoplasma que pode ser recolhido por amparadores e direcionado para trabalhos assistenciais. O bocejar está relacionado a mobilização de energias pelos chacras umbilical, cardíaco e laríngeo.

Defasagem. O bocejar contínuo, ininterrupto, durante trabalhos bioenergéticos indica que a pessoa está fora de forma, física e bioenergeticamente descompensada. Pode indicar também que ela está imersa em um campo bioenergético parasanitário, instalado pela assistência extrafísica.

Desenvolvimento. O bocejo contínuo persistente por vários anos durante a realização de trabalhos bioenergéticos evidencia a falta do desenvolvimento parapsíquico do indivíduo.

Assédio. Após a finalização de trabalhos bioenergéticos, o bocejar sucessivo é indicador de assédio.

Vampirização. O bocejar é negativo, indicador de vampirização bioenergética quando acompanhado de agonia, mal-estar e suor frio.

Conclusões

Bocejar é um ato frequente e simples cujas causas exatas ainda não foram esclarecidas.

O bocejar continuo pode ter inúmeras causas que para serem determinadas, requer a observação do estado da pessoa, o ambiente e as circunstâncias presentes.

 

Referências

Verbetes da Wikipedia

Revista Mente e Cérebro – Enigmas do Bocejo

Por que o bocejo é contagioso?

Bocejo “contagioso” não teria ligação com empatia

Experiências Fora do Corpo – O Guia do Iniciante

Fronteira da Consciência.com

Metaconsciência.com

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “O Ato de Bocejar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s