Inconsciente Coletivo e Holopensene


EV28032015

Hoje uma pessoa conhecida pediu-me, via Facebook, para explicar o que seria o inconsciente coletivo. Resolvi então aproveitar o que expliquei, transformando no post apresentado a seguir.

Inconsciente coletivo é um termo criado pelo psiquiatra suíço Carl Gustav Jung, para descrever é a camada mais profunda da psique. Constituído por materiais que foram herdados, nele residiriam os traços funcionais, tais como imagens virtuais, que seriam comuns a todos os seres humanos. O inconsciente coletivo também tem sido compreendido como um arcabouço de arquétipos cujas influências se expandem para além da psique humana.

O problema com a hipótese do inconsciente coletivo e dos arquétipos é que ela limita-se a dimensão extrafísica. Em outras palavras, o inconsciente coletivo seria herdado por meio da genética.

Somente extrapolando essa hipótese para a dimensão extrafísica é que vamos entender, de fato, o que é o Inconsciente coletivo.

Vivemos imersos em um mar de energia. Existem as energias físicas e energias extrafísicas. A ciência não admite essa última. Não obstante, as energias extrafísicas provocam efeitos que não podem ser ignorados.

Todos produzimos e abosorvermos energias extrafísicas.

Essas energias se estruturam em campos, as vezes mais localizados, as vezes dispersos até por todo o planeta.

Muitos desses campos bioenergéticos são alimentados por nossos pensamentos e se diferenciam conforme padrões bem estabelecidos.

Assim, existe um campo relacionado ao trabalho em uma dada organização, uma empresa, por exemplo, ao curso de medicina de uma universidade ou a vizinhança da sua residência.

Então existem campos mais específicos relacionados a poucas pessoas e outros mais amplos que podem se relacionam a milhões de pessoas.

Quando sintonizamos um campo especificamente podemos captar informações sobre ele, na forma de insights, ideias, sentimentos que estão modulando, impregnando esse campo.

Isso pode acontecer a luz do dia ou quando dormimos. Nesse último caso essas captações vem na forma de sonhos ou pesadelos, conforme o tipo de campo de sintonizamos.

Existem campos com padrão bom, neutro e ruim.

O tempo todo sintonizamos com um campo ou outro, conforme nosso padrão pessoal de pensamentos, sentimentos e energias.

Portanto, se queremos sintonizar apenas campos bons ou neutros, devemos manter um padrão de pensamentos, sentimentos e ações igualmente bons ou neutros.

Se pensamos coisas ruins, negativas, quanto a nós mesmos ou quanto a outras pessoas, se agimos de forma negativa, se cultivamos sentimentos e emoções ruins, sintonizamos com esses campos.

Tudo isso gera processos de retroalimentação: quanto mais penso coisas boas, mais sintonizo com campos bons e mais penso coisas boas.

Alguns chamam esses campos de egrégora, mas a egrégora é um campo específico.

O melhor termo para esses campos é holopensene:

Holo = todo. Pensene = sentimento+pensamento+energia.

Então existem holopensenes

  • Pessoais
  • Da nossa família
  • Da nossa vizinhança
  • Do nosso trabalho
  • Da nossa profissão
  • Do nosso país e assim por diante

Sintonizamos mais ou menos com cada um desses holopensenes, conforme explicado anteriormente.

Concluindo, a teoria do holopensene enriquece e explica muito melhor a hipótese do inconsciente coletivo e dos arquétipos.

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Efeitos Cumulativos de uma Rotina Saudável


EV12032015

Ao longo de nossas vidas vamos colhendo os efeitos cumulativos de anos e anos de práticas de bons e maus hábitos que cultivamos em nossa rotina diária.

O termo cumulativo vem do Latim, cumulatus, de cumulare, que significa encher, completar, amontoar.

Os efeitos cumulativos de desempenhos ruins e rotinas inúteis, sob o ponto de vista evolutivo, leva a acomodação, a cristalização de hábitos e pensamentos, gerando, com o passar do tempo vários tipos de bloqueios mentais, energéticos e físicos.

Por outro lado, os efeitos cumulativos de bons desempenhos e rotinas úteis, sob o ponto de vista evolutivo, leva a expansão e soltura bioenergética, ao desenvolvimento do parapsiquismo, a melhoria do discernimento, da lucidez e ao desassédio.

Dentre as inúmeras ações  que podem gerar efeitos cumulativos positivos em nossas vidas, selecionei 10 para exemplificar:

  • O tempo bem aplicado em tarefas úteis;
  • A prática rotineira do EV – Estado Vibracional;
  • A prática diária da blindagem energética diária do quarto de dormir e outras dependências da residência ou do trabalho;
  • A prática diária da tenepes;
  • A participação de dinâmicas parapsíquicas grupais;
  • A supressão sistemática de padrões pensênicos inconvenientes e negativos;
  • A prática regular de meditação, da autoreflexão, da autoavalização metaconsciencial;
  • A prática continuada e sistemática de autopesquisas;
  • As ações pessoais lúcidas e cosmoeticamente corretas;
  • A prática constante da interassistencialidade.

 Caro leitor, pense consigo mesmo: Se você tornar as ações acima um hábito:

Quais serão os efeitos cumulativos em sua vida após 10, 20 ou até 30 anos de sua prática contínua?

Quais serão as repercussões em sua próxima intermissão (o período intervidas)?

Quais serão os resultados para sua próxima existência intrafísica?

 

Para saber mais:

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

A Pesquisa Online sobre o Estado Vibracional Prossegue


Pesquisa Online Sobe o EV

Em 2014 iniciei uma pesquisa online sobre a prática do estado vibracional. Os resultados foram publicados na primeira edição do meu livro Estado Vibracional.

A pesquisa prossegue. Pretendo conseguir mais respondentes a fim de tornar os dados coletados mais expressivos do universo de praticantes do EV e, portanto, mais confiáveis.

Se você pratica a técnica do estado vibracional, participe também! São necessários apenas 5 minutos para respondê-lo.

Se você já preencheu esse questionário de pesquisa anteriormente, você receberá as atualizações periodicamente.

Link para o questionário: http://www.metaconsciencia.com/pesquisa-estado-vibracional.html

Para saber mais:

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

Qual tipo de evolução você deseja?


Estado Vibracional 12022015a

 

 

Evolução é qualquer processo gradativo e progressivo de transformação, de mudança de estado ou condição. A evolução da consciência é o progresso, o desenvolvimento das faculdades mentais, emocionais e bioenergéticas.

A evolução da consciência é contínua, geralmente lenta ou bem lenta, vida após vida, permeada por erros e acertos, decisões boas e más, ações adequadas e incorretas, acordos evolutivos libertadores ou estagnantes.

Não existe uma fórmula, receita ou caminho universal para o processo evolutivo. Cada pessoa deve buscar e escolher aquele que acredita ser o melhor para si.

Alguns aspectos da evolução são:

  • Velocidade: Pode ser lenta (mais comum) ou rápida (muito rara ou inexistente).
  • Consistência: Pode ser íntima, real, duradoura, transformadora ou superficial, de moldura, de aparência e ilusória.
  • Independência: Pode ser alinhada a uma filosofia ou religião (mais comum) ou independente, universalista (rara).

O desejo da maioria das pessoas que buscam a evolução consciencial é que ela seja consistente, rápida e alinhada com as crenças filosóficas ou religiosas que adotaram para si. Como se vê na figura acima, parece que isso não existe.

Para saber mais:

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

O Estado Vibracional é um Fenômeno Universal


EV_12012015

Robert  Crookall (31 jul 1890/jan 1981) foi um cientista PHD, geólogo e paleobotânico (especialista no estudo de plantas de existiram no passado distante) inglês. Além do interesse pela ciência propriamente dita, Crookal desde muito jovem interessou-se também pelos fenômenos paranormais.

Seus estudos abordaram as comunicações espirituais e, principalmente, as EFCs – Experiências Fora do Corpo e as EQM – Experiências do Quase-Morte.  Aprofundando suas pesquisas nestes assuntos, tornou-se uma das primeiras autoridades britânicas nesses fenômenos.

Em suas pesquisas, acredita-se que tenha coletado e registrado quase 20 mil casos de EFCs, embora tenha divulgado “apenas” 1500 deles nos diversos livros que publicou ao longo da década e 1960. Hoje, acredita-se que esse extraordinário desempenho, principalmente considerando o relativo desconhecimento e preconceito quanto a esse fenômeno existente no passado, sinaliza que Crookall deve ter sido especialmente assistido extrafisicamente para que tantos relatos chegassem ao seu conhecimento.

De posse de uma formidável quantidade de dados, colhidas em depoimentos e em livros publicados por projetores lúcidos, Crookall fez as primeiras consolidações de dados sobre EFCs. Graças a seu meticuloso trabalho, chegou a inúmeras conclusões, registradas em seus livros.

Uma delas era sobre a universalidade do estado vibracional, que, nos anos 60, ainda não tinha nome. Era apenas “as vibrações”. Crookal percebeu que eram tantos os relatos de vibrações por diferentes projetores, desde o início do Século XX até os anos 1960, que, concluiu, as vibrações deviam ser uma característica básica e intimamente relacionada aos fenômenos projetivos.

Depois disso, ainda seriam necessários mais 10 anos até que alguém desse o passo seguinte: induzir as vibrações para produzir EFCs!

Para saber mais:

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos

 

 

 

 

 

 

Primeiros Relatos sobre o Estado Vibracional


EV-11012015

O estado vibracional é um fenômeno bioenergético cuja ocorrência espontânea é relativamente rara, e que se caracteriza pela percepção de intensas vibrações por todo o corpo que proporcionam uma sensação de bem-estar.

Por ser um fenômeno que pode ocorrer de forma natural, certamente, ao longo de toda história e até antes dela, em tempos pré-históricos, pessoas passaram por esse estado. Contudo, dada sua raridade, poucos foram aqueles que perceberam haver algo de especial nessas vibrações. Se registros foram feitos sobre o fenômeno, não chegaram aos dias atuais.

Pesquisando antigos livros, talvez seja possível identificar o estado vibracional por detrás de certos relatos.

As primeiras referências diretas ao fenômeno surgiram com os primeiros autores de livros sobre projeções conscientes, no início do Século XX. Não é de se admirar. É durante as projeções conscienciais lúcidas que a ocorrência espontânea do fenômeno pode ser mais claramente percebida.

Sylvan Muldoon registrou seu primeiro estado vibracional em 1915 quando tinha apenas 12 anos de idade. Esse relato foi coletado e descrito por Rober Crookal em seu livro Practice Astral Projection, publicado nos EUA em 1960:

“Meu corpo completamente rígido (eu pensei que era o meu físico, mas era o meu astral) começou a vibrar a uma grande velocidade, subindo e descendo, e eu podia sentir uma pressão tremenda exercida na parte de trás de minha cabeça. Em seguida, o sentido da audição começou a funcionar, e o da visão em seguida. Quando fui capaz de ver, eu estava mais do que surpreso: Estava flutuando no ar, na horizontal, alguns metros acima da cama.”

O grande número de experiências projetivas levou Muldoon a publicar, em 1929 seu primeiro livro,  The Projection of the Astral Body, que acabou tornando-se o primeiro best-seller sobre EFCs.

Para saber mais:

Livro Estado Vibracional

Livro Estado VibracionalLivro Experiências Fora do Corpo - Fundamentos